Como investir no próprio negócio em tempos de crise. Franquias são uma boa opção?

Redator MDS FranchisingPor Redator MDS Franchising   |Comprar Franquia
Equipe Editorial MaisFranquia.com

Publicado em 11 de março de 2015  |  Atualizado em 7 de maio de 2018

como-investirVocê já deve estar cansado de escutar a frase que sugere que crises geram oportunidades. Pois é possível que não tenha uma chance tão “boa” de testar este provérbio, supostamente de origem chinesa, como no cenário atual. A crise econômica mundial – e também política no Brasil, culminando com os protestos do dia 15 de março – causa no mínimo apreensão naqueles que estão decidindo se partem para o próprio negócio ou se esperam a tempestade acalmar um pouco.

Há pelo menos uma informação relevante que irá ajudá-lo nesta tomada de decisão: ninguém sabe quanto tempo esta crise vai durar. Então, não há motivo para você esperar. A planejadora financeira Samantha Fraelich-Rohe, vice-presidente da Bernard R. Wolfe & Associates, já batia nesta tecla há dois anos. Em uma entrevista para a revista Forbes, ela recomendava justamente investir em objetivos de longo prazo.

Não é quando, é como

O desafio, enfim, teria menos a ver com o se ou quando empreender e sim com o como fazer. Para ajudá-lo, relacionamos algumas dicas de como investir no próprio negócio em tempos de crise:

Nade a favor da correnteza

É claro que a escolha do próprio negócio tem a ver com o perfil (e com o próprio coração) do empreendedor, mas em momentos de incerteza, convém apostar em setores que estão em alta ou pelo menos em situação estável, onde há demanda suficiente por seus produtos e serviços. Alimentação, manutenção de veículos automotivos e equipamentos de informática, construção civil, vestuário e estética estão entre os setores apontados pelo Sebrae como tendências de negócio para 2015. Por outro lado, evite seguimentos que sofrem muita influência do câmbio monetário;

Faça um pouco mais

Antes de montar o próprio negócio, você deve passar por uma série de etapas: fazer uma pesquisa de mercado, montar um plano de negócios e por aí vai. Certifique-se de dar aquele algo a mais em todos esses passos. Estude um concorrente a mais, revise o plano financeiro mais uma vez. Já abriu o negócio? Talvez seja o momento de trabalhar uma horinha a mais para garantir os resultados.

Busque ajuda

E ela nem precisar estar muito longe. Vasculhe a sua rede de contatos em busca de amigos ou colegas que possam orientá-lo sobre como investir no mercado de seu interesse. Vale recorrer também às entidades de apoio ao empreendedorismo. Há dias, um conhecido me contou que ele e um sócio contrataram um consultor do Sebrae para ajudá-los a organizar o projeto de um aplicativo para smarphones. Ficaram bastante satisfeitos com o serviço (que custou bem menos do que eu imaginava)

Negocie sempre

Durante a montagem do negócio e a prospecção dos primeiros fornecedores, não abra mão de negociar valores, condições de pagamento e tudo mais. Vale o mesmo em relação àqueles que poderão via a ser seus primeiros funcionários. O cenário atual é sim um argumento para que todos cedam um pouco. Mas isso não significa que você deve deixar de lado a prática do “ganha-ganha” nas negociações;

Abuse da criatividade

Trata-se de uma das melhores armas no combate a uma eventual falta de dinheiro ou à própria crise. Troque as despesas com a publicidade por soluções inovadoras e diferenciadas de promoção e venda. Seja criativo também nas negociações, por exemplo, fazendo uso da prática de permutas. Não esqueça de incentivar os seus funcionários a fazerem o mesmo;

“Desligue a TV”

Esta foi a maneira que Samantha Fraelich-Rohe, planejadora financeira citada no começo deste artigo, encontrou para sugerir que as pessoas não fiquem tão assustadas com o noticiário negativo em relação à crise e mantenham o otimismo.

Franquias são uma boa opção?

Sempre repetimos aqui que adquirir uma franquia é uma boa maneira de investir no próprio negócio com menos risco e incerteza, sobretudo quando for a primeira vez. O motivo é muito simples: tratam-se de negócios já testados e aprovados pelo mercado, e se estão dando certo, em princípio, é difícil (mas não impossível) este cenário mudar no curto ou médio prazo. Além disso, é bastante provável que pelo menos parte destas empresas já estejam operando de forma a sofrer menos os efeitos da crise.

De qualquer forma, algumas medidas podem ser tomadas de forma a diminuir ainda mais os riscos. A principal delas tem tudo a ver com aquela primeira dica de como investir, ou seja, nade em favor da correnteza. Aposte em segmentos de franquias que estejam em alta. Já listamos eles em outro artigo, mas aqui vão: produtos naturais e saudáveis, fitness e esportes, melhor idade (produtos e serviços para idosos), microfranquias e franquias digitais. Por outro lado, evite setores que sofrem influência dos avanços da tecnologia (gráficas, livrarias, papelarias e vendas por catálogo), além de petshops, educação e treinamento, mercados já saturados.

conteúdo em primeira mão

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade