3 dicas de ouro de como lidar com corretores de franquia (e assim evitar uma associação de ex-franqueados insatisfeitos)

Rafael MarinhoPor Rafael Marinho   |Comprar Franquia
Diretor de Marketing na MDS Franchising

Publicado em 18 de março de 2014  |  Atualizado em 19 de abril de 2018

franqueados-insatisfeitosNos últimos meses temos acompanhado o surgimento de associações de ex-franqueados que se sentem lesados por empresas franqueadoras. De Dezembro de 2013 para cá, foram criadas a Associação de Defesa dos Franqueados e o Sindicato dos Franqueados do Estado de São Paulo. Neste momento, você, que está em vias de adquirir uma franquia pode até estar pensando em mudar de ideia, não é mesmo? Então, vamos com calma o meu objetivo neste artigo não é desencorajar você, leitor, e sim fazer uma análise do problema, que na grande maioria das vezes está ligado a franquias “comercializadas” por corretores de franquia.

O aumento no número de franqueados insatisfeitos é, sem dúvida, reflexo do crescimento do setor. Segundo pesquisa recém divulgada pela ABF, o número de empresas franqueadoras no país saltou de 650 em 2002 para 2.703 em 2013 (veja gráfico abaixo). Destas, 43% delas têm ou tiveram menos de um ano de experiência com a operação do negócio antes de se lançarem como franquia, segundo pesquisa realizada pela Rizzo Franchise. A situação mais grave ocorre, principalmente, quando empresas como estas, recém criadas e que não tiveram o tempo ideal de maturação do negócio antes de se transformarem em franquias são comercializadas por corretores de franquia, pessoas sem comprometimento com o seu sucesso e satisfação e que querem apenas ganhar a comissão sobre a venda. É aí que está a raíz do problema.

Confira as 3 dicas de ouro de como lidar com os corretores de franquia e assim evitar ser o próximo integrante de uma associação de ex-franqueados insatisfeitos.

Como evitar ser integrante de uma associação de franqueados insatisfeitos

1. Saiba com quem está negociando

No mundo dos negócios saber exatamente com quem está se fazendo negócio é essencial e no mundo das franquias não é diferente. Ao iniciar a negociação com uma marca para a aquisição da franquia, procure saber quem é a pessoa que você está lidando, verifique que tipo de ligação esta pessoa tem com a empresa franqueadora e, caso esta pessoa, seja um “consultor” independente, sem qualquer vínculo empregatício com a franqueadora em questão ou com empresas de consultoria especializada, peça a esta pessoa que lhe dê referências de pessoas da qual ela já tenha comercializado uma franquia e faça contato com estas pessoas para que verifique o seu nível de satisfação, ou seja, se o que foi prometido por este corretor está sendo de fato cumprido.

Caso este contato com outros franqueados atendidos não seja possível e o corretor não lhe transmita a confiança necessária, uma opção é pesquisar o contato direto com o franqueador para contatá-lo e assim deixar com que ele próprio esclareça suas dúvidas. Empresas franqueadoras de pequeno porte e/ou recém chegadas ao mercado geralmente ainda não possuem departamento de expansão próprio, portanto neste caso, a conversa é com o próprio franqueador. O corretor ficaria então em stand-by, devendo ser novamente acionado somente quando a conversa com o franqueador estiver mais avançada e você mais confiante no negócio que lhe está sendo apresentado.

2. Desconfie de promessas exageradas

Há um velho ditado que diz que quando a esmola é demais o santo desconfia. Portanto ao se ver diante de promessas do tipo “a franquia de retorno de investimento mais rápido do mercado” ou então “lucro de X mil reais em apenas 6 meses de operação”, desconfie. Promessas são perigosas e na grande maioria das vezes, trazem consigo uma certa insegurança por parte de quem está prometendo, que por não confiar suficientemente no negócio, tenta se embasar em promessas exageradas para tentar persuadir o candidato a franquia a fechar o negócio. A dica neste caso é, não se deixe levar por promessas! Caso seja uma promessa relacionada a números, como por exemplo, promessas de faturamento, coloque os números em uma planilha de viabilidade e veja se isto é possível. Caso seja uma promessa relacionada a suporte e treinamento, converse com outros franqueados da rede para verificar se tais promessas são de fato cumpridas.

3. Aprenda a diferenciar um corretor de uma Empresa de Consultoria Especializada

Empresas franqueadoras quando chegam ao mercado, em quase 100% dos casos, chegam pequenas, logo, não possuem, ainda, condições de contratar profissionais para estruturar o seu próprio departamento de expansão. Neste caso, as empresas têm duas opções, contratar uma consultoria especializada para cuidar de todo o departamento de franquias ou então recorrer aos corretores de franquia.

Na grande maioria das vezes o trabalho desenvolvido por consultorias são trabalhos sérios, desenvolvidos por consultores especializados em franquias. Estas empresas geralmente possuem grande respaldo para representar a marca, pois além de conhecerem a fundo o setor, conhecem também a operação do negócio, pois em boa parte dos casos, são estas empresas que as auxiliam a estruturar o seu modelo de franchising, a chamada formatação da franquia. Já o corretor é geralmente um profissional independente que, por ter o seu trabalho pautado em resultados é remunerado somente quando concretiza uma venda. Estes profissionais costumam se preocupar em conhecer bem, somente, os números referentes a franquia (valor de montagem, valor taxa de franquia, etc), conhecendo pouco ou quase nada da operação do negócio que estão comercializando.

Portanto, se a empresa pela qual você está interessado em se tornar franqueado utiliza-se de corretores, fique atento, analise bem a proposta da marca, lendo atentamente tudo o que está sendo proposto na Circular de Oferta da Franquia e não se deixe levar apenas pela conversa do corretor. Caso julgue necessário, busque auxílio externo de consultores especializados, este tipo de profissional lhe auxiliará na análise da viabilidade da franquia e também na análise do que está sendo proposta na C.O.F.

Espero que esse artigo e suas dicas tenham sido úteis para você. Caso tenham sido, elas podem também ser úteis para um amigo(a), portanto, aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais preferidas através dos botões localizados à sua esquerda.

O que achou do artigo? Deixe a sua opinião e/ou dúvida no espaço destinado aos comentários abaixo, que responderei com o maior prazer.

conteúdo em primeira mão

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade