Como e por que um franqueador deve se preparar para gerir dois negócios completamente diferentes

Gerir negócios diferentes

Por mais que o universo do franchising tenha algumas definições sobre o papel e as responsabilidades de um franqueador, dentro da cadeia das relações de franquia sua função é cada vez mais múltipla. Um franqueador deve estar preparado para atuar em diversas frentes e saber gerir negócios diferentes, para o sucesso de seu negócio enquanto rede de franquias.

De um lado está o seu negócio original, seja ele um comércio de roupas, alimentos, etc., ou uma prestadora de serviços como, por exemplo, uma escola de idiomas, do qual você sempre administrou com maestria. Do outro lado está o seu negócio franquia, em que negocia marca e know-how, recebe royalties e administra uma rede de negócios e pessoas. O seu desafio como franqueador é reconhecer essa diferença e se preparar para executar múltiplas funções.

Testar conceitos; estabelecer normas, políticas e padrões da rede; capacitar franqueados e equipes; supervisionar redes de franquias e propiciar ferramentas aos franqueados são algumas dessas múltiplas funções desempenhadas pelo franqueador. Porém, para facilitar, podemos dividir as responsabilidades do franqueador em duas grandes áreas: Gerenciamento da Marca e Gerenciamento da Rede de Franquias.

Gerenciamento da Marca

Manter a boa reputação da rede é algo essencial para que uma empresa franqueadora mantenha e expanda as suas unidades franqueadas. É cuidando da imagem da marca, junto a franqueados e clientes finais, que se perpetua e consolida uma empresa. Afinal, a expansão de uma rede depende do interesse dos empreendedores em se tornarem franqueados.

A boa reputação da marca também traz resultados financeiros favoráveis à rede – um ponto bastante atrativo para a sua expansão. De acordo a diretora do Instituto de Reputação Brasil, Ana Luisa de Castro Almeida, o valor de mercado de uma empresa cresce em mais de 3% quando sua reputação financeira é considerada boa, aos olhos de investidores (*).

Além de bons índices financeiros, fazem parte da boa reputação de uma empresa: desempenho financeiro positivo, respeito, confiança, inovação, transparência, competitividade, entre outros. No Brasil, especialmente, tem sido de suma importância a questão da responsabilidade ambiental e social.

Investidores e consumidores finais (e franqueados, no caso das franquias) preferem comprar ou investir em marcas que sejam ambiental e socialmente corretas – em vista da importância da sustentabilidade nos dias de hoje. Uma pesquisa da Nielsen Company, por exemplo, aponta que mais de 70% dos consumidores brasileiros preferem produtos ou serviços de empresas ou marcas que tenham boa reputação no mercado, quando os assuntos são boas práticas.

A boa notícia é que não é preciso realizar projetos ou ações gigantescas para que uma rede de franquias seja bem vista no quesito sustentabilidade. As políticas adotadas no dia a dia da empresa podem ser redefinidas, caso ainda a organização não conte com práticas consideradas ambiental e socialmente corretas, como: evitar desperdícios de materiais, energia e custos em geral; apostar na reciclagem; ocupar-se da qualidade de vida dos colaboradores; não utilizar-se (nunca!) do trabalho escravo ou infantil; cumprimento das leis ambientais do país; destinar vagas a trabalhadores com necessidades especiais; respeito às leis trabalhistas do país; entre outras.

Gerenciamento da Rede de Franquias

Aqui, o desafio de gerir negócios diferentes costuma ser mais complexo. Uma boa comunicação e boa gestão formam a base de um bom gerenciamento de franquias, evitando que o franqueador perca o controle de sua rede de unidades franqueadas.

Uma boa comunicação inclui desde comunicados periódicos até treinamento sobre produtos, serviços e políticas operacionais ou financeiras; evitando que a rede se disperse – o que influi diretamente em resultados. A comunicação leva a melhoria das condições de competividade das unidades, nos seus locais de abrangência.

Já uma boa gestão significa organização e controle do dia a dia e resultados de cada uma das unidades franqueadas. Um exemplo é a consultoria de campo, que supervisiona e corrige possíveis erros em relação aos padrões de qualidade dos produtos ou serviços da rede.

Também faz parte de uma boa gestão de rede oferecer apoio visando um melhor desempenho do franqueado, como orientação contábil, jurídica e operacional, do qual vale destacar a qualificação e aprimoramento dos franqueados e colaboradores das franquias, que deve ser feito ou, ao menos, acompanhado de perto pela rede franqueadora.

O Papel das Consultorias

Uma excelente opção oferecida no mercado das franquias para empresas que encontram dificuldades em gerir negócios diferentes são as Consultorias. Essas empresas dão apoio às redes franqueadoras no processo de implantação, expansão ou inovação. Uma consultoria qualificada aponta necessidades de mudança, melhorias e soluções, facilitando, e muito, o desafio do franqueador em gerir negócios diferentes.

(*) em entrevista concedia ao Boletim digital BMS Notícias.

Fique Atualizado!

Insira abaixo o seu e-mail e receba, gratuitamente, as atualizações do blog!