As vantagens, os cuidados e tudo o que você precisa saber sobre microfranquias

Redator MDS FranchisingPor Redator MDS Franchising   |Comprar Franquia
Equipe Editorial MaisFranquia.com

Publicado em 25 de agosto de 2015  |  Atualizado em 23 de abril de 2018

tudo-sobre-microfranquiasAs microfranquias se tornam mais populares a cada dia e certamente você já ouviu algo sobre elas. A afirmação mais comum está relacionada justamente com o baixo investimento necessário e a principal vantagem trata sobre o curto prazo para o retorno.

De acordo com a Associação Brasileira de Franchising, elas são estes modelos de negócio que precisam de um investimento máximo de R$ 80 mil, o que abre oportunidades para muitos empreendedores em busca do sucesso e da independência profissional com o próprio negócio.

Apesar de estes argumentos serem muito tentadores, antes de investir neste modelo, muitos empreendedores também ficam com receio de que realmente são oportunidades de negócios confiáveis e sólidos.

Saiba que estas vantagens são mentiras e, além delas, também há outros benefícios que podem ser conquistados. Entre as principais vantagens de ter uma microfranquia estão:

  • O baixo investimento inicial
  • O curto prazo para o retorno do capital investido
  • Em muitas não há a necessidade de investir em ponto comercial
  • Há custos significativamente menores com despesas fixas
  • Baixa necessidade de funcionários e menores gastos com pessoal
  • Oportunidade de flexibilidade no horário de trabalho
  • Operação em muitos casos através do sistema home based

Se você ainda não conhece muito bem o funcionamento de uma microfranquia, poderá checar mais detalhes e entender as principais diferenças entre elas e os modelos tradicionais em nosso outro artigo: “Entenda a diferença entre Franquias e microfranquias.

Principais desafios dos microfranqueados

Apesar de todos estes argumentos serem verdadeiros, é preciso muito cuidado para não acabar sendo iludido e se decepcionar com o investimento feito. Embora esta opção de franquias de menor porte conte com uma operacionalidade reduzida, ela também precisará de muito cuidado e dedicação para minimizar ainda mais os riscos do negócio.

Mesmo com riscos significativamente menores que o presente na abertura de negócios próprios, o empreendedor que optar pelo franchising precisa estar preparado para superar dificuldades e desafios, mesmo em uma microfranquia.

De acordo com um levantamento divulgado pela ABF, em parceria com o SEBRAE, uma das maiores dificuldades enfrentadas pelos microfranqueados é a gestão financeira. O levantamento constatou que 39% dos entrevistados admitiu ter dificuldade com a organização das finanças de seus negócios.

Uma das grandes razões para que isto ocorra é o fato de subestimarem o porte do negócio. Tendo em vista que ele precisa de um investimento menor, alguns empreendedores acabam acreditando que a gestão financeira será muito simples e, com isto, não é preciso grande dedicação e esforço para organizar os balanços financeiros.

A ausência de cuidado neste ponto com as finanças desorganizadas pode gerar problemas de gestão em outras áreas e, consequentemente, causar uma bola de neve de dificuldades que impeçam o empresário de reconhecer seu sucesso, ocasionem uma frustração e terminem com um grande fracasso.

Além das finanças, durante a pesquisa os microfranqueados também indicaram outras áreas onde encontram dificuldades, que são:

  • Administração de pessoal – 33%
  • Relacionamento com os clientes – 31%
  • Publicidade – 25%
  • Formação de preços 23%
  • Pagamento de tributos e impostos – 20%
  • Pesquisas de mercado 13%
  • Auditoria 12%
  • Orientação sobre localização 9%
  • Controle de estoques 4%

Como contornar os desafios das microfranquias?

Como na maioria dos casos estas franquias mais compactas envolvem oportunidades de negócios para atuação individual ou com uma pequena equipe home based e de prestação de serviços, o passo inicial para superar os desafios envolve a identificação de compatibilidade do seu perfil profissional com o perfil de negócio da franquia.

Tenha certeza de que está disposto para encarar este modelo de desafio e que possui tempo, recurso e conhecimento básico inicial necessários para gerir sua própria microfranquia.

Para não errar na escolha e esclarecer todas as suas dúvidas, consulte nosso outro artigo: “Microfranquias: este conceito é para você?” , onde encontrará dicas de especialistas sobre o assunto.

Além disso, para fugir dos principais pontos de dificuldades apresentados pelos microfranqueados na pesquisa do SEBRAE com a ABF, invista em capacitação de gestão.

Procurar cursos externos para se especializar, além de ser um valioso recurso que irá ajudar no desenvolvimento do seu negócio, também será um ótimo investimento para sua formação pessoal, que pode ser útil também em outros projetos pessoais e profissionais.

Também não deixe de investir em um bom relacionamento com o seu franqueador, pois uma boa relação entre as partes ajuda a identificar e desenvolver pontos estratégicos importantes para toda a rede, fortalecendo a marca e aumentando as chances de sucesso do negócio.

A relação com o franqueador também é um ponto que não pode ficar esquecido. Para ajudar na escolha do modelo de microfranquia certa para você, também é preciso checar o suporte e as garantias que ele oferecerá.

Qual a diferença entre o franqueador comum e o franqueador de microfranquia?

Não há muita diferença entre um franqueador de microfranquias com um de modelos tradicionais. Na realidade o que opta por uma expansão através de modelos de uma microfranquia deve se comportar como um franqueador comum, cumprindo suas responsabilidades e exigências regulamentadas pela Lei das Franquias.

Entre as principais atribuições do franqueador estão:

  • Prestação de suporte ao franqueado
  • Oferta de assessoria necessária para a implantação do negócio
  • Acompanhamento do dia a dia e desenvolvimento do franqueado
  • Prestação de treinamento inicial e periódico necessários a todos os franqueados

Estas responsabilidades devem ser seguidas à risca pelo franqueador, independentemente do porte do negócio oferecido aos novos empresários, assim como as exigência legais, como a COF (Circular de Oferta da Franquia) e o Contrato da franquia, que também precisam seguir o que prevê a Lei 8.995/94.

Por isto, antes de assinar qualquer contrato, ou firmar compromissos, não deixe de conhecer as especificações da Lei das Franquias, questionar o franqueador sobre suas obrigações e checar as responsabilidades que passará a ter como microfranqueado.

E sempre que tiver alguma dúvida ou desejar se aprofundar nos temas ligados ao franchising, não deixe de consultar nosso site.

conteúdo em primeira mão

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade