Pensando em abrir o próprio negócio com pouco dinheiro? Veja como investir seu capital de forma segura

Redator MDS FranchisingPor Redator MDS Franchising   |Comprar Franquia
Equipe Editorial MaisFranquia.com

Publicado em 23 de dezembro de 2014  |  Atualizado em 6 de abril de 2018

abrir-o-proprio-negocioEm tempos de incerteza política e econômica, é difícil tomar a decisão de sacar aquele dinheiro da poupança para investir em um negócio próprio, solicitar um empréstimo ou pedir demissão do emprego, pois corre-se o risco de investir em um negócio sem futuro e perder o capital. Há, no entanto, algumas medidas que podem ser tomadas para atenuar esse risco. A maioria delas vale para qualquer tipo de empreendimento, inclusive para quem deseja abrir uma franquia. Confira três dicas:

1. Prepare-se (e prepare sua família)

Há, pelo menos, duas formas de se preparar para ser dono do próprio negócio. A primeira delas é trabalhando em cima dos fatores que geram as maiores inseguranças. Que tal começar pelo dinheiro? Marque uma data para dar o passo definitivo de se lançar ao empreendedorismo. Comunique a família sobre a decisão e também de que chegou o momento de “apertar o cinto”. O que tem que ficar claro para todos é a necessidade de juntar uma reserva financeira para o caso de o negócio demorar a dar certo.

É necessário também planejar a saída do emprego, se for este o seu caso. Nada de fazer corpo mole ou forçar uma demissão para ter direito ao dinheiro da indenização. É justamente o contrário, é o momento de trabalhar para garantir que seus colegas e superiores tenham saudade de você. Além de deixar as portas abertas, uma saída “em alta” pode garantir recomendações caso a aventura do empreendedorismo não dê certo.

A segunda forma de se preparar é estudando muito. Isso vale tanto para gestão de negócios em geral – formalização e administração de empresas, marketing, gestão de pessoas e financeira – como para assuntos específicos do mercado de franchising. Você sabe o que é uma Circular de Oferta de Franquia (COF)? E para que serve a taxa de royalties? Enfim, quanto mais você se tornar especialista no assunto (mesmo que teórico), mais segurança você terá na hora de partir para a prática.

2. Busque ajuda (inclusive financeira)

Conheça uma regrinha de ouro do empreendedorismo: dificilmente você chegará sozinho a algum lugar. Por isso a primeira dica deste artigo foi justamente buscar a ajuda da sua família. Mas aqui, estamos falando de outros tipos de ajuda. A primeira delas é buscar o apoio de mentores, ou seja, de profissionais do seu círculo social – ou não – que possam avaliar a sua ideia e dar conselhos. No caso de franquias, as orientações provavelmente terão relação com os segmentos e redes de seu interesse.

O outro tipo de ajuda que você deve buscar é a financeira. Há empreendedores que acreditam que a única solução para adquirir capacidade de investimento é através do financiamento bancário – e, com ele, altos juros e encargos. Em vez disso, que tal um investidor? Esta figura, cada vez mais presente no cenário da nova economia, entra com o capital (todo ou parte dele) em troca de uma fatia dos lucros. E nem precisa ir muito longe: o investidor pode ser aquele seu parente ou amigo endinheirado.

3. Comece pequeno (e estamos falando de franquias)

Se você está lendo este artigo porque tem interesse em abrir o próprio negócio, outra saída para diminuir os riscos é começar pequeno. Hoje, encontramos opções de franquias que exigem investimentos de cerca de R$ 5 mil. Em geral, estas “microfranquias” podem ser operadas de casa e dispensam a contratação de funcionários.

Há opções de microfranquias nos mais variados segmentos. Por exemplo, algumas têm como característica o fato de o serviço ser executado no local do cliente, como redes do ramo de jardinagem e de limpeza e manutenção de automóveis. Outras são exclusivamente digitais, prestando serviços por meio da Internet.

O fato de serem franquias de pequeno porte e aparentemente mais simples do que as grandes redes não significa que os cuidados devem ser menores na hora de você optar por uma delas. Tais microfranquias devem atender todos os requisitos previstos neste mercado. Também não pense que este tipo de negócio é para ser “experimentado” por poucos meses. Em geral, a duração do contrato é de cinco anos, com multas em caso de rescisão.

conteúdo em primeira mão

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade