10 dicas infalíveis para encontrar a franquia perfeita para você

Rafael MarinhoPor Rafael Marinho   |Comprar Franquia
Diretor de Marketing na MDS Franchising

Publicado em 13 de abril de 2012  |  Atualizado em 19 de abril de 2018

encontrar-a-franquiaComprar uma franquia é mais complicado – e arriscado – do que apenas escolher uma marca famosa e escrever um cheque. “Esta é uma decisão que exige um investimento significativo de tempo e dinheiro”, diz Mark C. Siebert, CEO da consultoria americana iFranchise, localizada em Irvine, Califórnia. “Para ser bem sucedido, você precisa encontrar a franquia que você se apaixone – e terá prazer em fazer. A escolha por uma franquia é uma decisão de estilo de vida “.. Mas como estreitar o número esmagador de oportunidades de franquia para encontrar a franquia perfeita para você? Foram consultados vários especialistas de renome na área e o resumo de seus conselhos para estas 10 dicas infalíveis, você confere agora!

10 dicas para encontrar a franquia perfeita para você

1. Comece com você mesmo

Siebert diz que o processo começa com alguns auto-exames. Você precisa perguntar-se quais as forças do negócio e que tipos de atividades de negócios que você realmente gosta, diz ele. Ao mesmo tempo, identificar as suas fraquezas e o que você não gosta de fazer. Pergunte a si mesmo algumas perguntas-chave, diz ele. Que tipo de estilo de vida você quer esse negócio te ofereça? Quanto dinheiro você precisa ganhar? Qual horário você prefere trabalhar. Se você tiver problemas para sair da cama pela manhã, uma franquia de café, onde você precisa acordas às 5 da manhã, todos os dias, pode não ser a melhor escolha. “Alguns conceitos de franquia pode exigir que você tenha conhecimentos em técnicas de venda e se você não for uma pessoa com um certo conhecimento nessa área, este tipo de franquia pode não ser uma boa opção. Certifique-se de que você entenda exatamente o que é que ser franqueado”, diz Siebert.

2. Faça a lição de casa

Direcione as opções para alguns setores que esteja mais interessado, em seguida analise sua área geográfica para ver se há mercado para esse tipo de negócio, aconselha o consultor John Macaluso, co-fundador do The Expert Franchising em Newport Beach, Califórnia. Para isso você pode trabalhar com um consultor de franquias, ou entrar em contato com todas as franquias de seu interesse e pedir-lhes informações. Qualquer reputada empresa terá o prazer de lhe enviar informações sem nenhum custo. Ao mesmo tempo, fazer o seu próprio trabalho de detetive. Pesquise na internet para encontrar todas as informações que puder sobre a empresa que você está pensando. Além disso, verifique em órgãos reguladores de empresas em seu estado para ver se existem sérios problemas com a empresa pretendida. Se a empresa ou os seus princípios têm sido envolvidos em processos judiciais e falências, tente determinar a natureza das ações.

3. Verifique o dinheiro

O investimento na franquia pode variar de alguns milhares a dezenas de milhares de reais, com base em uma variedade de fatores, sendo assim analise bem os números, ressalta Siebert. Olhe para todos os custos de investimento, incluindo os gastos iniciais, taxa de franquia, taxa de publicidade e royalties. Verifique com seu contador e as melhores estimativas do futuro da sua empresa e sua indústria. Então, olhe para o capital que você tem disponível para investir. Certifique-se que as projeções feitas incluem dinheiro suficiente para sustentar você e sua família para o período de tempo necessário até que o negócio se torna rentável, acrescenta Macaluso.

4. Entenda seus direitos

Franqueadores são obrigados a disponibilizar aos potenciais franqueados a Circular de Oferta de Franquia uniforme. É importante examinar cuidadosamente este documento legal, já que inclui detalhes sobre as finanças do franqueador; taxas, royalties e outras despesas, informações sobre patentes, marcas e direitos autorais; obrigações do franqueador, e uma variedade de outras peças de informação sobre a empresa. Siebert é constantemente surpreendido pelo número de potenciais franqueados que não tomam o tempo para ler todos os documentos do franqueador.

5. Obtenha aconselhamento externo

Procure um advogado, contador ou consultor especializado em franquia, diz Siebert. Esses conselheiros têm visto os diferentes tipos de problemas que podem surgir e não tem o investimento emocional que você tem no negócio, diz ele. Eles podem ser capazes de detectar fatores que você eventualmente tenha esquecido e que poderão expô-lo a riscos. “Fale com corretores ou outros no mercado, mas tenha certeza que você terá um monte de opiniões diferentes das outras pessoas e que você pode jogar de advogado do diabo para você mesmo neste processo, de modo que você não tome uma decisão puramente  emocional”, diz ele.

6. Converse com franqueados

O franqueador também deve fornecer nomes e informações de contato para outros franqueados – e você deve contatá-los, diz Ford R. Myers, presidente da Aliança Franchising em Haverford, Pa. Conversas com franqueados podem lhe fornecer informações valiosas sobre a experiência real de trabalhar com a empresa e o verdadeiro impacto da marca em publicidade.

Siebert concorda. Algumas das perguntas que ele sugere que potenciais franqueados façam incluem: Será que os franqueadores cumprem as suas promessas? Eles estão fornecendo-lhe apoio adequado? Será que o investimento realmente fica dentro da faixa que está listada no documento de divulgação? Você está feliz com seus lucros atuais? Quanto dinheiro você está fazendo? Você se sente bem com as decisões que você fez? Gostaria de fazer perguntas específicas especificamente para esse negócio. O que estou fazendo no dia-a-dia? Diga-me como vai ser o meu dia-a-dia. Que habilidades você acha que eu preciso ter para ter sucesso nos negócios? Elas podem parecer intrusivas, mas Siebert diz que a maioria dos franqueadores ficarão felizes em compartilhar estas informações.

7. Conheça a equipe de gestão

Myers diz que é importante conhecer e se familiarizar com a equipe de gerência do franqueador, e de preferência em sua sede. Isto irá permitir que você veja toda a operação e conheça as pessoas que estarão te fornecendo serviços de apoio. O olhar do escritório e as atitudes das pessoas que trabalham lá podem falar muito sobre a própria empresa.”Você eventualmente queira ter longas conversas com eles”, diz ele. “Você está prestes a se “casar” com essas pessoas. Você tem que olhar nos olhos deles e gostar do que vê.”

8. Faça projeções cuidadosas

Desenvolva uma análise pro forma de lucros e perdas, que inclui o quanto você teria que vender para fazer os royalties e outras despesas. Fluxos de receitas de diferentes áreas em diferentes franquias, por isso é importante entender de onde o dinheiro virá e que precisa ser pago.

Nathan Smith, 44, franqueado de FASTSIGNS, diz um motivo que ele escolheu a empresa Idaho Falls, Idaho é a empresa base e sua receita só vem de taxas de franquia e royalties – e não de marcações sobre os produtos dos fornecedores . Além de seu investimento inicial, Smith paga um royalties de 6 por cento das vendas, bem como uma contribuição para um fundo de publicidade de 2 por cento das vendas. Mas ele é livre para encontrar suas próprias fontes para vários trabalhos e faz uso da rede online da franquia de mais de 400 franqueados que frequentemente compartilham informações e recursos para ajudar uns aos outros. E no final, se unirem é uma das razões por que tantas empresas independentes são atraídos para trabalhar com franquias.

9. Tenha um plano

O consultor Jeff Elgin, CEO da FranChoice, Inc. em Eden Prairie, Minnesota, diz que é importante ter um plano de franquia empresarial. Para este tipo de plano, as seções principais incluem uma introdução, que inclui uma descrição completa do negócio e os produtos ou serviços envolvidos, Gestão, que descreve as funções de gerenciamento de chaves na empresa; Marketing, que descreve como a sua franquia irá promover-se para atrair negócios; Projeções Financeiras, incluindo os rendimentos e as demonstrações de fluxo de caixa, bem como os balanços que projetam o desempenho financeiro, e necessidades de financiamento, que esboçam as necessidades potenciais de capital da empresa no período anterior em que se torna rentável ou quando começa a crescer.

10. Não se apaixone

Finalmente, diz Siebert, muitas pessoas compram uma franquia baseada na emoção, sem fazer a devida investigação para o mercado em potencial ou história da franquia ou requisitos. Apaixonar-se com a idéia de franquia antes que você tenha feito a devida diligência descrita aqui é uma receita para o fracasso. “Você, eventualmente, estará saindo de seu emprego, abrindo mão de benefícios, utilizando-se de suas economias de uma vida inteira, e fazendo algo que você nunca fez antes”, diz ele. “Antes de fazer isso, você deve a si mesmo uma pequena pesquisa.”

5 coisas a evitar

1. Confiar demais em seus instintos

Sim, você deve prestar atenção em seus instintos, mas o fracasso em fazer uma investigação completa e de olhos claros é o maior erro individual em juízo que os proprietários das franquias potenciais podem fazer, de acordo com o consultor Mark Siebert. Fazendo uma decisão emocional significa que você não entender completamente o que você está se metendo. “Você ficaria surpreso”, diz ele, “o número de pessoas que nem sequer leram o documento de divulgação.”

2. Deixar de fazer os contatos necessários

Os franqueadores devem fornecer uma lista de franqueados. Siebert diz que é fundamental contatar pelo menos duas dúzias deles, especialmente aqueles na área que você pretende abrir o negócio. Os franqueados são muito abertos, ele diz, e você vai aprender muito sobre a verdadeira experiência de possuir a franquia e suas recompensas potenciais e armadilhas.

3.  Deixar obscuras as responsabilidades que você terá

Você não vai apenas executar seu próprio negócio. Você também estará se relacionando com a empresa franqueadora. E isso pode muitas vezes envolver, participar de teleconferências, assistir a sessões de treinamento e se engajar com muitas outras atividades exigidas pela franqueadora. Portanto, esteja ciente de todas as obrigações sociais.

4. Subestimar a quantidade de tempo e dinheiro necessário

O consultor de franquia John Macaluso sempre adverte seus clientes que pode demorar de seis meses a um ano para começar a obter um retorno satisfatório com a franquia – às vezes mais. “Muitos franqueados”, diz ele, “acham que o franqueador já fez todo o trabalho e tudo o que ele ou ela tem que fazer ir todas as manhãs, contar o dinheiro e fazer os depósitos – e então alegremente dizer a si mesmos, ‘eu vou ir jogar golfe agora. “Errado!”

5. Ignorar o apoio do franqueador

Em muitos casos, observa-se que os franqueadores têm desenvolvido ferramentas e sistemas de apoio para fazer o negócio de seus franqueados mais fácil e também para garantir maiores chances de sucesso. Alguns podem oferecer comercialização e assistência administrativa ou acesso a uma rede coordenada de franqueados. Certifique-se de examinar cuidadosamente os recursos de seu franqueador fornece e aproveitar aqueles que podem ajudar seu negócio. Não há sentido em desnecessariamente reinventar a roda, diz Macaluso.

*Adaptação e Tradução do artigo escrito por Gwen Moran originalmente publicado em Entrepreneur.com.

conteúdo em primeira mão

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade