5 dicas para a perenidade no Franchising

Carlos Ruben PintoPor Carlos Ruben Pinto   |Vender Franquia
Diretor Executivo na MDS Franchising

Publicado em 19 de junho de 2013  |  Atualizado em 14 de agosto de 2018

presenca-duradoura-no-franchisingAlguns empresários que pensam em vir para o Franchising têm em mente uma forte preocupação com os riscos que terão pela frente.

Entre eles, sempre tem um que identifica uma outra empresa que aderiu ao Franchising e em pouco tempo de operação, abandonou o sistema. E a pergunta imediata é: o que provoca tal coisa? Concedem poucas franquias e logo paralisam a operação?

Se a unidade de negócio ou canal de distribuição via franchising estivesse indo bem, certamente isso não teria acontecido. São vários os motivos que podem levar uma empresa franqueadora a interromper o seu procedimento de expansão via Franchising, e pelo que tenho observado, o principal motivo está ligado diretamente às questões operacionais.

A principal missão deste post é oferecer dicas operacionais práticas que auxiliem sua empresa na perenidade no Franchising, então vamos à elas:

1. Exija o cumprimento dos padrões da franquia

Uma das prerrogativas do sistema de franquias é a padronização e, é para isso, que as empresas ao optarem pela expansão através do Franchising fazem a formatação da franquia, para que sejam documentados todos os processos da empresa, tornando-os assim padrão.

Porém, alguns franqueados insistem em descumprir alguns destes padrões, como por exemplo, acrescentando um ou outro produto ou serviço não oferecido pela rede.

Isto nada mais é do que o famoso “jeitinho brasileiro” em que a pessoa acredita que estar infringindo um ‘pouquinho’ às regras para se tirar alguma vantagem não tenha problema. Tem sim! Pois, isto vai contra os padrões da franquia e pode comprometer a qualidade dos produtos e servidos oferecidos pela rede. Portanto, coíba ao máximo esta prática.

2. Selecione corretamente seus franqueados

Um dos principais pontos que fragilizam a operação, é a seleção errada de franqueados. Este erro pode ocorrer por falhas do franqueador na avaliação do perfil adequado ao negócio, mas, às vezes também ocorre com candidatos que se apresentam demonstrando ter as características exigidas pela franquia, se mostram bons em relacionamento e vendas, e, mais tarde, revelam o contrário. Portanto, fique atento e procure fazer uma seleção rigorosa.

3. Oriente seus franqueados sobre como fazer a administração financeira de maneira correta

É comum vermos franqueados que não fazem a administração financeira de forma correta, metem a mão no dinheiro da empresa e vão se revelando maus gestores de seus negócios. Para que se evite práticas como esta, é importante que você, franqueador, oriente seus franqueados sobre a importância de se fazer uma boa administração financeira, para que possam fazer um bom uso do capital de giro, controlando minuciosamente os custos, e assim, possam ter o retorno financeiro no prazo estipulado.

4. Fique atento as reivindicações de seus franqueados

É muito importante estar atento também à “contaminação” – franqueado insatisfeito pode influenciar outros na rede. Na era das redes sociais isto tem se tornado cada vez mais evidente, já que franqueados insatisfeitos as têm utilizado cada vez mais pela busca de seus direitos, podendo inclusive contaminar pessoas que têm intenção futura em se candidatar a sua franquia.

Portanto, fique atento a qualquer reivindicação de um franqueado e converse com os demais para saber se algum deles também enfrentam o mesmo problema, constatada a legitimidade, procure atendê-la.

5. Ofereça treinamento constante

Um erro muito comum cometido por empresas franqueadoras (e que pode ameaçar uma presença duradoura no Franchising) é achar que somente o treinamento inicial é suficiente.

Por mais abrangente e bem elaborado que seja, ele por si só não é suficiente. Só com o passar do tempo à frente do negócio é que o franqueado percebe novas necessidades de treinamento em aspectos ainda não vivenciados e/ou não previstos pela franqueadora.

Portanto, é fundamental que empresa franqueadora ofereça treinamentos constantes, não só para o franqueado, mas também para a equipe de atendimento do franqueado.

Conclusão

Problemas operacionais podem fazer com que jovens empresas franqueadoras abortem a estratégia de expansão via Franchising. Ser uma rede nova e ter poucos franqueados é natural. Porém, ter poucos franqueados e dentre eles alguns sem perfil para o negócio, é preocupante, eles são capazes de inviabilizar uma estratégia de expansão.

As empresas que tomam a decisão de interromper a expansão porque um ou outro franqueado apresenta problemas, caem em uma cilada, misturam operação com estratégia e deixam a operação matar a estratégia.

O cuidado que as novas empresas franqueadoras devem tomar é não deixar que questões operacionais de curto prazo obstruam a sua estratégia de expansão no longo prazo.

O Planejamento Estratégico do Franchising exige metas claras, execução de planos operacionais, entendimento das ações prioritárias, controle e melhorias na operação da rede medindo o desempenho continuamente.

O que achou destas dicas? Conte pra gente através dos comentários. Estamos ansiosos para saber a sua opinião.

conteúdo em primeira mão

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade